quarta-feira, 23 de março de 2011

Novo olhar da vida...

Não sei exatamente o que tem acontecido, mas ultimamente tenho olhado a vida de outra maneira, menos critica e bem mais sensível.

Como a TV fica ligada o dia todo no trabalho, acabo vendo pedacinhos de programas, e alguns me chamam a atenção. Como aconteceu na semana passada, com a entrevista dos ‘Victores Valentins’ do passado e do presente, no programa da Ana Maria Braga, e a emocionante história do jornalista Arthur Xexéo.

Xexéu lembrou: “Luis Gustavo era o ator preferido do meu pai, ele parava para ver Ti-ti-ti. Em 85, ele estava mal, com uma doença terminal. E ele adorou a novela! Era o momento da alegria que ele tinha às 7 da noite, quando começava Ti-ti-ti. Ele gostava quando o Victor Valentim aparecia. O dia dele era para esperar a novela começar. Às 7 da noite tudo melhorava porque Ti-ti-ti entrava no ar. Achei que ele ia ficar nervoso e morrer antes da novela acabar, mas ele assistiu tudo, só morreu depois que o último capítulo foi exibido. Ele não se permitiu morrer enquanto a novela não acabasse”.

Com esta matéria, acabei lembrando da minha avó Anunciata. Em 1990, quando ela se foi, passava a novela Pantanal (na Manchete). Em cada lapso de memória da minha querida, ela se via em meio trama, conversando com Zé Leôncio, Juma, etc. A novela tinha uma grande importâncias, pois também era um momento em que minha avós se desligada da vida real (e de sua enfisema pulmonar), e se ligava naquele mundo de fantasia.

Hoje penso que antes de criticar um programa de TV, vou pensar duas vezes, pois ele pode fazer toda a diferença na vida de uma pessoa.

* Veja a matéria: http://maisvoce.globo.com/videos/v/murilo-benicio-e-luis-gustavo-se-despedem-de-ti-ti-ti-no-mais-voce/1463055/

Beijocas...

2 comentários:

Nayara C'Oliveira - Naná disse...

Pois é. Às vezes, esquecemos que o valor de um baú de ouro pode ser maior para um, do que para outro.

O ouro nem sempre é tão puro e nem sempre reluz o brilho da felicidade na mesma intensidade com o qual cada pessoa vive 'seu' cada dia.

Ótimo post Lu.

Mirela Leme disse...

Lu, que boa história essa. E gostosa, a partir do momento em que você faz uma analogia com o que acontecia com a sua vó. Já estou imaginando um próximo post em que você faça a mesma coisa.

Um beijo!